Neto com os torcedores na Poderoso Timão (Crédito: Fábio Alexandre) Ele começou sua carreira no infantil da Ponte Preta de Campinas, mas logo se transferiu para as categorias de base do rival Guarani. Seu talento na meia-esquerda rapidamente despertou a atenção da opinião pública e sua estreia como profissional aconteceu aos 17 anos de idade.

Depois de passar por São Paulo e Palmeiras, foi no Sport Club Corinthians que encontrou seu verdadeiro lar, liderando a equipe na conquista de seu histórico primeiro título de campeão brasileiro, em 1990. Fora dos campos, José Ferreira Neto, ou simplesmente Neto, vem conquistando todas as torcidas com seus comentários na TV Bandeirantes e agora se prepara para acompanhar o Brasil na Copa do Mundo da África do Sul. Em visita à loja Poderoso Timão, terça-feira (30), Neto atendeu seus fãs e aproveitou para conversar com o Click Indaiá Online.

Click Indaiá – O Corinthians é favorito ao título da Libertadores?
Neto – Antes de tudo, quero agradecer à loja e aos fãs que estão vindo para ganhar um autógrafo e tirar um foto. Esta interação é muito legal. Sobre o Corinthians, acredito que se o time jogar como jogou contra o São Paulo (vitória de 4 a 3 no domingo, 28), já está na final da Libertadores. Não posso dizer que será campeão, até porque os outros times brasileiros estão muito fracos nesta primeira fase da competição.

CI – E o Ronaldo, deve ir para a Copa?
Neto – Se voltar à condição física que tinha na Copa do Brasil de 2009, quando o Corinthians foi campeão, acredito que o Ronaldo tem chances de ir para a África do Sul. Mas hoje vejo que ele não está focado como antes. Foco é saber que não pode engordar mais e que está mal fisicamente. Tecnicamente, não há nada a dizer, ele é ótimo.

CI – Você acredita que o Mano tem o time na mão?
Neto – Se o Mano (Menezes, técnico da equipe) não tivesse o time nas mãos, eu falaria na televisão. Converso sempre com o Andrés (Sanchez, presidente do Corinthians) e vejo que o Mano é um treinador de muita capacidade, campeão da Série B, da Copa do Brasil e do Paulista. Deve ser valorizado porque se tivéssemos outro treinador lá, estaríamos onde estamos?

CI – E o Roberto Carlos, pode voltar à Seleção?
Neto – Pelo que vem jogando, acredito que o Roberto Carlos poderia estar na Copa. Outro
que merece uma chance é o Paulo Henrique (meia do Santos Futebol Clube), até para substituir o Kaká, que não acho um jogador criativo. É sim um jogador fantástico, que sai em velocidade, mas não um jogador de criação. Por isso, acho que a Seleção terá dificuldades na Copa.

CI – A Seleção é favorita na Copa do Mundo?
Neto – Pra mim, a Seleção está muito fraca e não chega à final. O Dunga é um cara esperto, mas tem feito um trabalho medíocre, que maltrata a imprensa e os torcedores. E ainda faz propaganda de cerveja. Como um treinador pode cobrar algo do seu jogador fazendo propaganda de cerveja? Os jogadores argentinos estão bem em seus clubes, mas não vemos isso com os brasileiros.

CI – O Corinthians passa para as semifinais do Paulista?
Neto – Acredito que a última vaga está entre São Paulo e Corinthians. Santos, Santo André e Grêmio Prudentino já estão classificados. Acredito ainda que o Santos será campeão, pelo que vem jogando, mas o único time que pode segurá-lo é o Corinthians.

CI – E a polêmica com o Marcos (goleiro do Palmeiras, que classificou Neto recentemente como mau caráter, após comentário sobre sua possível aposentadoria)?
Neto – Não ofendi o Marcos, apenas tive a coragem de dizer o que penso sobre o assunto. Acredito que ele foi indelicado comigo e com minha família. Mas ele é campeão do mundo pela Seleção e ídolo do Palmeiras, e eu o respeito por isso. E para falar a verdade, meto o pau em tanta gente, será que não posso ouvir também?

CI – O futebol perde com a morte de Armando Nogueira?
Neto – Com certeza, ele escreveu crônicas belíssimas sobre o jogador Neto. É uma perda irreparável para o jornalismo esportivo em termos de qualidade. Mas a verdade é que, neste mundo, todo mundo morre. Eu não tenho pressa de ir e se alguém me dizer que lá é melhor, eu discordo. Para mim, o melhor está aqui e quero aproveitar cada momento.

CI – Você chegou a indicar algum jogador para o Corinthians?
Neto – Não vou dizer que não indiquei ninguém, mas é claro que converso com o Sanchez sobre isso. Ele é meu amigo pessoal há muito tempo. Aliás, se o Corinthians é respeitado hoje no Brasil e no mundo inteiro, isso se deve exclusivamente a ele. Antes, o Corinthians saía apenas na página policial, agora é destaque em todo canto.

CI – Como você classifica sua passagem pelo Grêmio Recreativo Osan (Neto jogou pela extinta equipe indaiatubana em 1998, onde foi vice-campeão da Segunda Divisão do Paulista)?
Neto – Adorei jogar aqui em Indaiatuba. Fui muito bem recebido por dirigentes e torcedores e pude mostrar que este negócio de não jogar em times menores é uma verdadeira bobagem.

Neto nasceu em Santo Antônio da Posse, em 9 de setembro de 1966. Ao longo de sua carreira, defendeu o Corinthians em dois períodos: entre 1989 e 1993 e entre 1996 e 1997. No total, disputou 227 partidas, com 104 vitória, 74 empates e 49 derrotas. Anotou 84 gols. 

Neto com o pequeno fã (Crédito: Fábio Alexandre)