Crédito: Fábio AlexandreAcho que ninguém duvidaria que a segunda edição da Virada Cultural Paulista em Indaiatuba seria um sucesso. Os números oficiais da Secretaria de Cultura do Estado indicam que ficamos em terceiro lugar no ranking de público, atrás apenas de São Bernardo do Campo, com 105.746 pessoas, e Sorocaba, com 96.810. Mas o que realmente surpreende é que as 71.950 pessoas que marcaram presença em Indaiatuba ajudaram a dobrar os números alcançados em 2008. Os números referem-se a uma contagem parcial realizada pelos produtores locais, sem levar em conta todos os espaços utilizados para as apresentações.

Muito provavelmente, a ausência da Virada em Campinas foi um dos fatores que ajudaram a “construir” estes números, mas uma grande parcela de sua totalidade veio daqui mesmo. E este é motivo suficiente para comemorar. 

Para o coordenador geral da Virada Cultural na Secretaria de Estado da Cultura, André Sturm, que acompanhou os espetáculos nas cidades de Araraquara, Santos e Mogi das Cruzes, o evento já faz parte da vida destes municípios. “Percebemos um público variado, eclético e que cresce a cada ano. Em Araraquara, por exemplo, foi muito bom ver um teatro de 500 lugares lotado para ver a São Paulo Cia. de Dança e pessoas do lado de fora esperando pela próxima atração. Em Santos, Nicolas Krassik, que não é nenhum ‘pop star’, foi aplaudido de pé. Essa é uma das características da Virada, permitir que as pessoas descubram novos talentos”, analisa. Em Indaiatuba, não foi diferente.