Virada Cultural - LenineCom pouco espaço e recursos escassos em Recife, Lenine se mudou para o
Rio de Janeiro no final dos anos 70.
Em pouco tempo, se destacou ao ter uma música gravada por Elba Ramalho. Em seguida viriam Fernanda Abreu,
O Rappa, Milton Nascimento, Maria Rita, Maria Bethânia, entre outros.

Trabalhos que renderam convites
para produzir os discos Segundo,
de Maria Rita, De Uns Tempos pra Cá,
de Chico César, e Ponto Enredo, de Pedro Luís e a Parede. Trabalhou
na televisão com Guel Arraes e
Jorge Furtado como diretor musical
de Caramuru – A Invenção do Brasil,
e no musical Cambaio, de Adriana e
João Falcão. O Dia em que Faremos Contato foi seu disco de estreia,
em 1997, e rendeu ao cantor e
compositor dois prêmios Sharp, nas categorias Revelação e Melhor Canção.

Labiata é seu primeiro trabalho em estúdio desde Falange Canibal, de 2002. Mesmo assim, o cantor afirma que o novo disco tem a mesma pulsação de um trabalho gravado ao vivo. “O Labiata tem essa peculiaridade, soa como se tivesse sido gravado ao vivo, por conta da banda tocando junta, ali, na hora, sem muitas gravações adicionais”, conta. Lenine acredita que essa cumplicidade transpareça no resultado final. “Tem uma sintonia muito grande, é um som realmente de banda. O Labiata é muito íntimo nesse sentido”, completa.