Crédito: Fábio Alexandre

Depois de perder o Circo Vox para comer um pastel (ninguém é de ferro, certo?), voltei correndo para acompanhar as duas primeiras músicas dos capixabas do Dead Fish. Hardcore do bom, com guitarras afiadas e muito pique no palco. Na sequência, correria para chegar na Sala Acrísio de Camargo a tempo de assistir Prego na Testa, com o palhaço Hugo Possolo, dos Parlapatões.

Crédito: Fábio Alexandre

Através de seis diferentes personagens, Possolo revela as neuroses do homem moderno em texto adaptado do americano Eric Bogosian. Com suas caras e bocas e uma facilidade fora do comum para fazer rir sem apelos, o Parlapatão rendeu um dos momentos mais admiráveis da Virada Cultural Paulista em Indaiatuba.