URGENTE

Post Top Ad

Your Ad Spot

03 fevereiro, 2009

Click entrevista: Túlio Dek

Click Entrevista

Se um bom músico realmente precisa de muitas influências para se destacar dos demais, o que dizer de um rapper nascido em Goiânia, berço do sertanejo de raiz, criado em sua adolescência na efervescente cena hip hop da ensolarada Califórnia, nos Estados Unidos, mas que acabou encontrando seu lugar na música em plena boemia carioca? Assim pode ser resumida a trajetória de Túlio Dek, 23 anos, que lança seu primeiro álbum em todo Brasil, intitulado O que Se Leva da Vida É a Vida que Se Leva, e celebra o sucesso de seu primeiro single, Tudo Passa, primeiro lugar nas paradas de vários rádios por todo país. Em visita aos estúdios da rádio Clip FM, o rapper falou um pouco sobre este novo momento em sua carreira.

Nascido em Goiânia, Túlio Lemos Andrade não nega suas raízes sertanejas. “Ouvia muita moda de viola com meu avô”, conta. “É deste sertanejo que eu gosto, do caipira mesmo, e não do que é produzido atualmente”. Contudo, o rap entrou em sua vida antes mesmo de se mudar para os Estados Unidos. “Comecei a escutar rap exatamente um ano antes de me mudar. Nesta época, ouvia muito Racionais MC's e Gabriel o Pensador, que era simplesmente sensacional no início de sua carreira”, observa o rapper.

Aos 11 anos de idade, mudou-se com a família para a Califórnia, e se dividia entre Los Angeles e Santa Bárbara. “Foi nesta época que, influenciado principalmente pelos meus irmãos, comecei a gostar mesmo de rap”, confessa. “Escutava muito o Wu-Tang Clan, que até hoje é meu grupo preferido”. Quando retornou dos Estados Unidos, foi logo procurando meios para exteriorizar sua paixão por este gênero musical. “Foi então que passe a participar da Batalha do Real, no bairro carioca da Lapa. “Fiquei sabendo deste lugar na Lapa onde você pagava um real para poder rimar, participando de uma batalha freestyle contra oito pessoas”, recorda Túlio.

Para o rapper, a participação nas batalhas foi determinante em sua carreira. “Para participar destas disputas, é preciso muita concentração. Muitas vezes você está em cima do palco, com outras sete pessoas, e precisa pensar rapidamente em uma resposta à altura para seu oponente”, explica. No entanto, Túlio afirma que não existem segredos para aprender a rimar. “O lance é praticar bastante, ir se soltando aos poucos. Brincando, até hoje bolo muitas coisas em minha cabeça”, observa.

Sobre as diferenças entre o rap norte-americano e o brasileiro, Túlio é enfático. “Existem muitas diferenças. O rap norte-americano é dançante e tem megaproduções. Muitas vezes, a letra pouco importa hoje em dia”, afirma. “Já no Brasil o rap é um grito de guerra dos excluídos. Infelizmente, em nosso país, muitos bons rappers não tem a oportunidade de mostrar seu trabalho ao público”. Kardecista, o músico incorporou o Dek em seu nome artístico para deixar claro suas preferências pessoais. “Minhas letras são sempre positivas. Espero que este estilo realmente 'pegue', porque o Brasil está precisando de paz”, enfatiza.

Parcerias

Durante uma de suas apresentações na Batalha do Real, Túlio Dek chamou a atenção de Carol Monte, irmã da cantora Marisa Monte, através de quem conheceu o DJ e produtor Cuca, que fez a ponte com outro importante produtor, o experiente Rick Bonadio, da Arsenal Music, que já trabalhou com bandas como Mamonas Assassinas, CPM 22, NX Zero, Fresno, entre outras. De contrato assinado, o rapper finalmente conseguiu concluir seu primeiro álbum, no qual já acumulara dois anos de trabalho.

De contrato assinado, Túlio Dek recebeu a visita de convidados ilustres, que toparam participar de seu primeiro disco, como o titã Paulo Miklos, na faixa O Que se Leva da Vida... e o rapper Thaíde, um dos precursores do hip hop no Brasil, em Sem Preconceito. Mas o destaque foi a presença de Di Ferrero, vocalista do NX Zero, em Tudo Passa, que se tornou hit nas principais rádios do país. “O NX havia me convidado para cantar com eles antes e resolvi retribuir todo o carinho convidando o Di para gravarmos Tudo Passa juntos. O resultado foi muito legal”, comemora.

Com o sucesso da faixa, Túlio Dek afirma não ter medo que o restante de seu primeiro álbum caia no esquecimento. “O disco todo foi muito bem produzido e traz uma fusão de gêneros muito legal”, analisa. “Sinceramente, acredito que temos ainda umas cinco músicas que vão cair na boca da galera”, completa. “O próprio Bonadio comenta que sua melhor música realmente não é aquela que está 'bombando'”. Túlio Dek admite que integrar a trilha sonora da novela A Favorita foi importante para sua carreira. “Quando soube que Tudo Passa seria o tema do personagem do Cauã Reymond, nem acreditei. E a repercussão foi realmente sensacional”, revela.

Sobre o conturbado fim de seu relacionamento com a atriz Cléo Pires, com quem namorou por três anos, Túlio Dek desabafa. “Quando rolou com a Cléo, eu já estava gravando o disco, mas a imprensa só comentava isso”, lembra. “Terminamos no mesmo momento em que assinei com a gravadora e aí virei notícia mesmo”, brinca. “Mas o lance é saber separar as coisas. Agora só quero trabalhar e divulgar o disco por todo Brasil”, enfatiza.

Crédito da foto: Fábio Alexandre (Contato: 19-9297-8862)

Nenhum comentário:

Páginas