Entenda (de uma vez por todas) a diferença entre diet e light

Você sabe a diferença entre diet e light? A Secretaria Nacional do Consumidor e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) realizou seu último boletim sobre o tema e reuniu algumas dicas sobre esses tipos de alimentos.

De acordo com a nutricionista chefe do ambulatório de Nutrição do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, Cristiane Kovacs, é importante ler atentamente as informações nutricionais descritas nas embalagens dos produtos. "Tem que ficar de olho no rótulo do alimento e quando for buscar um produto light deve observar a tabela nutricional e a lista de nutrientes. Quando possível comprar as versões light e tradicional para saber se ele realmente é light", disse.

Produtos diets devem ser usados por pessoas que pretendem eliminar um determinado nutriente de sua dieta ou portadores de doenças metabólicas, como diabetes. Já os alimentos lights são ideias para quem deseja diminuir a ingestão de um nutriente, mas não totalmente, como o caso de alimentos com menor adição de sódio.

Confira sete dicas da Anvisa e entenda a diferença entre os produtos diet e light:

1.O que significa o termo light?
É um tipo de informação nutricional complementar e significa reduzido. Assim, um alimento pode ser "reduzido ou light" em valor energético, açúcares, gorduras totais, gorduras saturadas, colesterol e sódio. Para um alimento ser considerado reduzido ou light em valor energético ou algum nutriente é necessária uma redução de, no mínimo, 25% no valor energético ou no conteúdo do nutriente objeto da alegação em relação ao alimento de referência ou convencional.

2. O que significa o termo diet?
O termo diet é usado somente em algumas categorias de alimentos para fins especiais, tais como alimentos para dietas com restrição de nutrientes, alimentos para controle de peso, e alimentos para ingestão controlada de açúcares. É preciso ter atenção, pois o termo diet não significa sempre ausência de açúcar no alimento.

3. Na hora da compra
Muita gente se confunde e pensa que o alimento (ou bebida) diet é totalmente sem açúcar, e que os produtos light não contêm gordura o que não é, necessariamente, verdade absoluta.

4. Rótulos
O boletim nº 33 da Senacon/Anvisa alerta para a importância da leitura dos rótulos dos alimentos de modo que o consumidor identifique, se for o caso, a presença de algum ingrediente ou nutriente que não possa ser consumido, ou deva ser consumidor em baixa quantidade.

5. Quantidades
Tanto alimentos diet quanto light não têm necessariamente o conteúdo de
açúcares ou energia reduzido. Podem ser alteradas as quantidades de gorduras, proteínas, sódio, entre outros. Isso torna ainda mais importante a leitura atenta dos rótulos.

6. Alimentos para fins especiais
O termo diet só pode ser usado em algumas categorias de alimentos para fins especiais, estabelecidas na Portaria nº 29/1998 da Anvisa. São elas: dietas com restrição de nutrientes, para controle de peso e para ingestão controlada de açúcares.

Entre os exemplos de produtos diet encontrados nos supermercados, e que podem usar essa expressão na embalagem, estão geleias para dietas, shake ou pó para o preparo de bebidas destinadas à redução de peso, e ainda pós para o preparo de sopas para dietas com restrição de sódio.

7. Consumidores em condições especiais
Portadores de diabetes, hipertensão, colesterol alto, doença celíaca, entre outras, devem ler atentamente os rótulos dos alimentos, observando a lista de ingredientes e as informações nutricionais obrigatórias.

Do Portal do Governo do Estado

0 comentários: