'Não Existe Mulher Difícil', com Marcelo Serrado

Baseado no livro homônimo de André Aguiar Marques, com texto adaptado por Lúcio Mauro Filho e direção de Otávio Müller, a peça Não Existe Mulher Difícil é atração no dia 2 de julho, na Sala Acrísio de Camargo. A comédia conta a história de um homem que, após ser abandonado pela mulher, precisa se readaptar ao 'mercado'. Mas a realidade é outra, com mulheres mais independentes e homens completamente perdidos.

“Convidei o Marcelo e ele teve a ideia de fazer um monólogo, achei que poderia render”, conta o diretor. “Ele e eu temos uma amizade grande desde o espetáculo No Retrovisor, que foi muito importante na nossa carreira. O Lucinho (Lucio Mauro Filho) fez a adaptação, a peça tem uma pitada de stand-up”, prossegue. “O cenário consiste basicamente num piano, e o personagem de Marcelo é um pianista que acabou de ser traído. Ele fica tão arrasado que não consegue fazer o show e começa a contar a história de seus amores. Se existe mulher difícil? Existe, mas a gente não pode perder a esperança”, brinca.

Marcelo conta que o livro foi o grande ponto de partida para a peça. “Tem muita coisa nossa no espetáculo, por isso que o público vai se identificar”, afirma. “Trouxemos histórias pessoais e o Lucinho, muito generoso, sempre topou nossas ideias. Eu trouxe também minha experiência no piano, que adquiri na peça Tom & Vinicius”, revela. “O espetáculo é um manual para homens e mulheres, não é machista, o personagem é um cara muito legal. Estou muito feliz de fazer um monólogo, não vejo dificuldade, vou lá e me dedico, tento ser o mais crível possível”, explica.

André Aguiar Marques conta que o livro é uma grande brincadeira com o público feminino e masculino. “Existe mulher difícil, só que elas estão em extinção. As mulheres estão muito exigentes, e os homens não entendem o que está acontecendo”, observa. “O nome do livro brinca com um dito popular antigo, que tem muitas variações: 'não existe mulher difícil, existe homem que bebeu pouco', entre outras”, brinca. “O legal é que a história serve para homens e mulheres, é útil para elas não caírem nos golpinhos dos homens, e para eles se atualizarem e cantarem melhor as mulheres”, ressalta.

Lucio Mauro Filho fala com humor sobre o projeto. “Não existe mulher difícil. Existe diretor difícil, ator difícil, produção difícil e um adaptador quase impossível”, brinca. “André Aguiar Marques nos introduziu no mundo masculino da cafajestagem, e decidimos passar para a frente este legado. Lendo o livro e vendo a peça, o público vai perceber que, na verdade, o cafajeste é um homem de bem”, ressalta o ator/adaptador.

FICHA TÉCNICA

Texto: André Aguiar Marques
Adaptação: Lucio Mauro Filho
Elenco: Marcelo Serrado
Direção: Otávio Muller
Direção de arte: Maria Borba
Direção musical: Marcio Tinoco
Trilha sonora: Dany Rolland
Iluminação: Paulo Denizot
Produção: New Marketing Comunicação / GT Produções Artísticas

SERVIÇO

Data: 2 de julho
Horário: 21 horas
Local: Sala Acrísio de Camargo (Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 3.665 – Jardim Regina)
Ingressos: R$ 50 (inteira), R$ 40 (promocional para cadastrados no Clube GT, bônus de jornais e empresas parceiras) e R$ 25 (meia entrada)
Pontos de venda: Secult (Praça Dom Pedro II – Centro), Laselva Bookstores (Rua 13 de Maio, 839 – Centro) e Laselva Shopping Jaraguá
Informações: (19) 3834-7837 ou 3825-2056
Site oficial: www.teatrogt.com.br

0 comentários: