De Linha de Passe para a Televisão

Bom Dia Frankenstein é o nome escolhido para a nova novela da sete da Rede Globo, que substituirá a atual Caras & Bocas em sua grade de programação. Além da estreia do autor Bosco Brasil na emissora carioca, um conhecido dos indaiatubanos também marca presença pela primeira vez: o ator João Baldasserini, que iniciou seus trabalhos no teatro em nossa cidade e em 2008 foi um dos protagonistas do aclamado Linha de Passe, dirigido por Walter Salles e Daniela Thomas.

João Baldasserini em cena de Linha de Passe (Crédito: Divulgação)João não esconde que Linha de Passe – que filmou ao lado do amigo José Geraldo Rodrigues, que também iniciou seus estudos dramaticais em Indaiatuba – foi um divisor de águas em sua carreira. “Depois do filme, as coisas mudaram. Fiz testes para outros longas-metragens e recebi alguns convites”, revela o ator. “No entanto, já havia me registrado para participar da Oficina de Atores da Rede Globo, antes mesmo de fazer o filme, e eles acabaram me chamando”. Após alguns testes iniciais, João foi selecionado. “Participei de uma espécie de processo seletivo e acabei entrando para o elenco da novela”, comemora.

Os trabalhos de elaboração de seu personagem já tiveram início. “Farei um entregador de pizza, que também é estudante de hotelaria”, conta. “Acho que o fato de ter feito um motoboy em Linha de Passe ajudou a fazer as coisas acontecerem. Mas devo integrar o núcleo cômico da novela, característica que já se tornou marca registrada da novela das sete”, explica João, que agora se prepara para as filmagens iniciais. “Iremos fazer uma preparação especial de 20 dias e conhecer todos os núcleos da novela”, revela. “As filmagens terão início em São Paulo, no final de setembro. Depois de 40 dias, voltamos para o Rio de Janeiro”, conta.

João afirma que o maior desafio será se adaptar à rotina de gravações da novela. “A televisão tem uma linguagem totalmente diferente do cinema. Se para o filme gravávamos duas ou três cenas por dia, a novela exige a gravação de 20 cenas por dias. É realmente uma indústria”, enfatiza. “Mas a experiência já está me ajudando a lidar com a linguagem e com as câmeras”.

Prestes a estrear na televisão, João avisa que não abandonará o cinema ou o teatro. “Comecei fazendo teatro no colégio COC, em Indaiatuba, e decidi que este seria me destino”, conta. “Depois estudei três anos no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí e integrei a trupe d'Os Satyros, com quem excursionei pelo Brasil e Alemanha”, lembra. O ator também passou pela Escola de Artes Dramáticas da Universidade de São Paulo (USP). “O teatro me deixa mais próximo do humano e mais seguro do que é ser artista. A estreia na televisão me ajudará a evoluir e confesso estar ansioso para aproveitar ao máximo esta grande oportunidade”, confessa. “Quero que meu trabalho seja visto e que isto permita me realizar profissionalmente”.

* Matéria publicada na edição de 21 de agosto do Jornal Exemplo

0 comentários: