Carnaval e Álcool

A proximidade do Carnaval carrega uma situação de risco que se repete ano a ano: o consumo de bebidas alcoólicas entre adolescentes, especialmente nos bailes e festas de rua. Alguns jovens acabam tendo nesse período o primeiro contato com o álcool, estimulados por outros colegas.

Essa primeira experiência pode ser a porta de entrada para um hábito extremamente nocivo que causa dependência, com graves conseqüências para a saúde. O alerta é do médico Maurício de Souza Lima, especialista em adolescentes (herbiatra) do Hospital das Clínicas de São Paulo, ligado à Secretaria de Estado da Saúde.

O médico menciona levantamento do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas segundo o qual 48,3% dos adolescentes entre 12 e 17 anos já beberam alguma vez. Desses, 14,8% bebem regularmente e 6,7% são dependentes do álcool.

"Essa situação alarmante é agravada pela facilidade de acesso às bebidas alcoólicas entre os jovens brasileiros. O uso freqüente do álcool na adolescência produz danos ao cérebro, afetando a memória e prejudicando a aprendizagem, além de favorecer o desenvolvimento de problemas familiares, como a violência, e de uma vida sexual promíscua", afirma o médico do HC.

"Quanto mais cedo uma criança ou adolescente tiver contato com o álcool, mais chance terá de se tornar dependente", conclui o especialista.

Fonte: Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo

OBS: principalmente durante esta época, critico a necessidade absurda de se relacionar diversão ao álcool. Creio que seja absolutamente possível se divertir sem precisar de "aditivos". Oras, também gosto de uma cervejinha e até mesmo de um bom uísque. Mas é necessário saber o momento certo de parar. Antes de prejudicar a si mesmo e ao próximo.

0 comentários: